Manutenção predial é coisa séria

Já vimos em outros artigos que os materiais de que são construídos os edifícios têm uma determinada durabilidade, isto é, têm um período de vida útil, ao longo da qual vão se deteriorando (perdendo suas propriedades originais), até um momento em que não atendem mais as suas funções e precisam ser repostos, por isso se faz necessário o que chamamos de “manutenção predial preventiva“.

Vimos também que os materiais têm durabilidades diferentes. O concreto, por exemplo, do qual é feita a estrutura, pode durar 50 anos ou mais, enquanto a pintura dura alguns anos. Por outro lado a pintura protege o concreto e, se não for reposta periodicamente, o próprio concreto pode não durar os 50 anos que seria a sua vida útil normal.

Assim, para que um edifício possa ter todas as suas funções prolongadas ao longo da sua vida útil, é necessário que, durante esse tempo, seja feita uma série de serviços de verificações, reposições e substituições. A esses serviços damos o nome de manutenção (LICHTENSTEIN, 1985). São exemplos de tipos de manutenção predial: repinturas, substituição de fios, tubos e aparelhos elétricos, trocas de fechaduras, torneiras, ou peças internas desses componentes, entre muitos outros. Os serviços de manutenção são rotineiros e periódicos. Existem também muitas empresas de manutenção predial. Assim, podem ser previstos e planejados, como se faz nas revisões programadas de veículos.

Fonte: construfacilrj.com.br

No momento, não é permitido comentários.